Principais indicadores 9º – Diversificação

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Continuamos nossa sequência de posts com a série dos principais indicadores que os investidores devem observar no momento de aquisição do fundo. Nesse nono post abordarei o assunto de diversificação e a importância de manter um portfólio equilibrado. Isso vale tanto para alocação em um fundo específico, quanto um portfólio com setores diferentes.
Basicamente podemos separar os setores macro em 2 tipos: Tijolo (Fundos de laje corporativa, shopping center, galpão logístico, hospital, hotel, entre outros) e recebíveis, também chamados de fundos de dívida ou fundos de CRI. Não vou citar fundos híbridos, desenvolvimento ou Fundo de fundos, pois já abordamos em outros posts.
Para cada um desses fundos de tijolo temos momentos diferentes dentro do ciclo imobiliário. Podemos citar as etapas em:
1: Recuperação (sentimento ainda negativo com o setor, retomada das atividades, queda na vacância);
2: Expansão (entrada de capital para setor de construção, preço dos imóveis em alta, sentimento otimista);
3: Excesso de Oferta (aumento do número de imóveis vagos, preço dos imóveis estáveis, sentimento ainda otimista);
4: Recessão (Saída de capital do setor de construção, queda no preço dos imóveis, restrições de crédito, sentimento negativo com o setor).
Em alguns momentos, cada tipo de fundo pode estar em uma das etapas citadas acima. Ao concentrar um portfólio em um único setor, o investidor tem um risco direcional. Um exemplo é: concentrar em fundos de logística e o setor passar por um momento de recessão com alta vacância. Nesse caso, o investidor tende a sofrer no curto prazo. Caso o investidor deixe de avaliar o retorno esperado por cada ativo, o risco individual e a correlação entre os ativos do portfólio pode ter uma carteira com maior oscilação.
Isso vale também para um fundo de recebíveis que tenha em seu portfólio apenas poucos CRI’s. Caso algum deles tenha um risco de crédito alto, atrase os pagamentos ou o nível de garantias seja fraco, esse investidor pode ter problemas com dividendos e queda no valor das cotas – vale ficar atento ao risco de crédito.
É importante ter um portfólio diversificado que proporcione um dividendo saudável, ganho de capital e retorno a longo prazo.
Quer saber mais sobre FII’s? Fale com o seu assessor de investimentos.

Mais Conteúdos

Vendas no Varejo abaixo das expectativas

No mês de setembro, guiado por mais uma extensa revisão na série histórica,..