Principais indicadores – 7º indexadores

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Continuamos nossa sequência de posts com a série dos principais indicadores que os investidores devem observar no momento de aquisição do fundo. Hoje abordarei os indexadores (ou índices de reajuste) mais comuns de um fundo imobiliário, que são o CDI, IPCA e IGP-M.

De maneira geral, os contratos de aluguéis são reajustados anualmente pelo IGP-M, que é um dos indicadores que serve para medir a inflação do país, ou seja, a oscilação de preços de produtos e serviços. O Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) é calculado mensalmente pelo Ibre, órgão da FGV (Fundação Getúlio Vargas), e é composto pelos seguintes índices: 60% IPA (Índice de Preços por Atacado), 30% IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e 10% INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

O IPCA é o índice oficial para medir a inflação, e é calculado mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com a alta do IGP-M nos últimos 12 meses, muitos gestores tiveram dificuldade de repassar toda alta, e muitos adotaram o valor de IPCA para reajuste anual de contrato.

Já o CDI representa um título de emissão das instituições financeiras, que lastreia as operações entre os bancos, se tornando referência para várias operações financeiras.

É importante entender qual a projeção de cada um desses indexadores para ter uma carteira bem-posicionada, considerando o que esses indexadores valerão no futuro. Observar o histórico do fundo é importante, mas muitas vezes a projeção futura pode indicar algum arrefecimento, e consequentemente o fundo entregar um resultado menor do que o atual, podendo ocorrer queda no valor da cota.

Quer saber mais sobre o indicador? Entre em contato com um de nossos especialistas!

Mais Conteúdos

Vendas no Varejo abaixo das expectativas

No mês de setembro, guiado por mais uma extensa revisão na série histórica,..