Panorama Internacional

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Uma das principais discussões dos últimos meses é a retomada do crescimento ao redor do mundo e o início do movimento de alta nas taxas de juros nos países desenvolvidos.

Os dados de seguro-desemprego nos EUA estão no nível mais baixo desde o início da pandemia. No entanto, há gargalos que desequilibram a oferta e demanda de insumos e podem trazer uma inflação mais elevada. Com isso, o FED passou a projetar, desde o mês passado, duas altas de juros em 2023.

Os números de novos contágios reduziram bastante desde o início do ano e a população americana se sente cada vez mais confortável para voltar a viajar e encontrar com amigos e familiares em restaurantes e bares. Com isso, muitos especialistas já estimam um crescimento de 7% da economia do país, a maior variação desde 1984.

Além dos EUA, outros países começam a apresentar resultados econômicos surpreendentes. A Comissão Europeia revisou para cima a previsão de crescimento, puxando os dados para 4,8% nesse ano e 4,5% em 2022. A alteração em questão foi a maior que fizeram nos últimos 10 anos.

Por outro lado, a China divulgou o PIB do segundo semestre (7,9%) no último dia 15, e o resultado veio abaixo do esperado (8,1%). Esse crescimento se deve pela desaceleração da atividade industrial e o aumento dos custos das matérias primas.

Ficou com dúvidas? Conte com a nossa equipe de assessoria para te ajudar a entender mais sobre o cenário macroeconômico!

 

-Por Vinícius Minatogawa

Mais Conteúdos

Dados de produção industrial dos EUA abaixo do esperado

Os EUA divulgaram os dados de Produção Industrial: -1,3% vs 0,2% expectativa vs..

Equivalência de taxas na Renda Fixa

Muito provavelmente os leitores mais atentos, ao lerem nossa última publicação sobre a..

Reflexões sobre as taxas dos Fundos de Investimentos

No Brasil, somos acostumados a fugir e ter medo de taxas. Isso porque,..