O fim de uma estratégia histórica

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

A gestora Mauá Capital, de Luiz Fernando Figueiredo, ex-diretor do Banco Central, informou nesta última sexta-feira que está reestruturando suas áreas dentro da gestora, de forma a focar naquelas que têm conseguido entregar melhores retornos à casa e aos cotistas. Neste cenário, a área dos fundos multimercados será reduzida.

Segundo Luiz, a área será menor, mantendo a abordagem macroeconômica e com uma gestão de mais longo prazo liderada por ele, que voltará ao papel de gestor após seis anos, focando na expansão da gestora.

O principal fundo multimercado da casa, o Mauá Macro, acumula perdas de 7,7% em 2021, e de 2,8% em 12 meses. Além do resultado negativo, o fundo perdeu muitos cotistas e patrimônio líquido nos últimos anos.

Nos últimos nove anos, a Mauá investiu fortemente em produtos ligados à economia real. Na área de investimentos alternativos, a casa destaca que alocou no mercado imobiliário, que já concentra cerca de 80% dos R$ 5 bilhões em ativos sob gestão.

A noticia entristece os apaixonados por estratégias macro no Brasil. Para muitos investidores, a primeira experiência com investimentos mais robustos, fora da Poupança, foi conhecendo estratégias como a da Mauá, Verde e Adam.

De acordo com a Mauá, todos os clientes serão avisados e terão a oportunidade de decidir sacar o dinheiro investido antes de qualquer mudança.

Que a gestora tenha muito sucesso em suas outras frentes. A história do Mauá Macro ficará guardada conosco!

Mais Conteúdos

Dados de produção industrial dos EUA abaixo do esperado

Os EUA divulgaram os dados de Produção Industrial: -1,3% vs 0,2% expectativa vs..

Equivalência de taxas na Renda Fixa

Muito provavelmente os leitores mais atentos, ao lerem nossa última publicação sobre a..

Reflexões sobre as taxas dos Fundos de Investimentos

No Brasil, somos acostumados a fugir e ter medo de taxas. Isso porque,..